domingo, 24 de junho de 2018

Resenha: Ele - Quando Ryan Conheceu James de Elle Kennedy e Sarina Bowen

18:12:00

Livro: Ele
Autor (a): Elle Kennedy e Sarina Bowen
Editora: Paralela
Compre: Amazon
Sinopse: James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo. Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato. O que aconteceu na última noite daquele acampamento de verão, quando tinham apenas 18 anos, não muda uma verdade simples: Jamie sente saudade de Wes.

O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles. Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente.

Jamie esperou bastante tempo pelas respostas sobre o que aconteceu com seu relacionamento com Wes, mas, ao se reencontrarem, surgem ainda mais dúvidas. Uma noite de sexo pode estragar uma amizade? Essa e outras questões sobre si mesmos vão ter que ser respondidas quando Wesley e Jamie se veem como treinadores no mesmo acampamento de hóquei.


ResenhaEste livro é delicioso. É adorável e super sexy. O romance acontece em um acampamento de verão. Eu pensei que amava mais romance de viagem, mas droga - me dê mais romance de acampamento de verão.

Wes e Jamie são ambos jogadores de hóquei. Eles se encontraram em um acampamento de verão de hóquei de seis semanas em sua juventude e se tornam melhores amigos. E quando eles não conseguem se ver depois do verão, eles mandam uns aos outros caixas cheias de itens bobos ou brincadeiras ao longo do ano. É apenas uma maneira de deixar o outro saber que eles estão pensando neles. Quando completam 18 anos, seu último ano no acampamento, Wes faz algo pelo qual se arrepende - ele se sente como se tivesse aproveitado de Jamie e ele deixa o acampamento e corta a comunicação com ele pelos próximos quatro anos.

Durante os próximos anos, Wes se assume gay para sua família e alguns de seus colegas de equipe. Enquanto isso, Jamie não entende por que seu melhor amigo não retorna seus e-mails ou telefonemas.

Agora, quatro anos depois, as equipes de hóquei universitário de Jamie e Wes chegaram ao último torneio do campeonato. Eles estão hospedados no mesmo hotel, então eles se encontram. Enquanto a reunião inicial é desajeitada, eles começam a conversar e tentam reparar a amizade. Algumas semanas depois, os dois voltam para o antigo acampamento para se tornarem instrutores para o verão - e eles se acomodam no mesmo dormitório. Finalmente, ele diz a Jamie que é gay. Então as coisas acontecem. Boas coisas.Coisas sexy. Coisas que me fizeram pular de alegria.

De qualquer forma - nos dias atuais, Wes finalmente diz a Jamie que ele é gay. Mas as coisas mudam entre eles. Eu acho que eles sempre amaram um ao outro do jeito deles, e agora que estão mais velhos e mais maduros, eles podem processar e lidar com esses sentimentos. 

Esses dois caras se apaixonam, e é doce e sexy. A tensão sexual é acumulada em grandes momentos. O romance é sensual, quente e fofo. É uma ótima história de romance. Por favor, escreva mais.

Sarina Bowen e Elle Kennedy estavam claramente destinadas a escrever juntas. O estilo deste livro é tão rápido quanto os jogos de hóquei que Wes e Jamie participam; o diálogo flui naturalmente e há apenas um relacionamento entre os dois personagens principais que é complicado e fofo. Os personagens em si são tão vívidos e reais: Wes é um sábio e destemido e Jamie é o descontraído. Eu adorei ver esses dois interagirem uns com os outros. Eles tinham essa amizade fácil que claramente tinha passado por alguns solavancos, mas foi finalmente indo na direção certa e foi apenas... divertido de assistir. Como ver velhos amigos em volta redescobrir um ao outro novamente.

Tudo sobre este livro me viciou - a química sexual entre os personagens principais, o desenvolvimento emocional que era rico e nuançado, a excelente escrita, a maneira sem esforço com que os personagens se relacionavam e todos os personagens secundários, o hóquei e o grande final, que conseguiu surpreender até a mim.

***

Eu amei essa história. A química entre estes dois estava fora das páginas e o aspecto emocional me fez desmaiar completamente. Ver o relacionamento de Wes e Jamie se desenvolver em algo mais me fez cair de cabeça. Fiquei completamente caidinha enquanto a história progredia, enquanto “Ele” possuía meu coração, eu amava os dois e não podia escolher um favorito. 


Esta é uma história de se apaixonar por seu melhor amigo - uma história de amor sem conhecer limites. Uma história de duas pessoas dispostas a correr o risco de explorar o desconhecido. Este livro estava super quente e cheio de amor, enquanto Wes e Jaime se descobriam pouco a pouco.

- Karina 

Detalhes:

Título: Ele
Autor (a): Elle Kennedy e Sarina Bowen

Tradução: Lígia Azevedo
Lançamento: 29/06/2018
Páginas: 260
Formato: 16.00 X 23.00 cm
ISBN: 9788584391202
Gênero: Ficção

A segunda edição da FLIPOP chegou!

17:03:00

Entre os dias 29/06 e 01/07 de 2018, acontece a 2ª edição da FLIPOP - Festival de Literatura Pop -, um evento criado pela Editora Seguinte, selo jovem do Grupo Companhia das Letras. Ainda maior este ano, participam do festival outras 9 editoras além da Seguinte: D'Plácido, Duplo Sentido, Editora Hoo, Globo Alt, Editora Planeta do Brasil, Morro Branco, Plataforma 21, Qualis e Todavia. A FLIPOP acontece no Centro de Convenções Frei Caneca, localizado no 4º andar do Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569 - São Paulo). No evento, todos pagam meia: seja meia entrada de estudante (mediante apresentação de carteirinha) ou meia social (mediante doação de um livro em bom estado na entrada no evento).

A FLIPOP 2018 é um festival literário voltado para os jovens leitores e contará com 38 convidados divididos em mais de 28 mesas de bate-papos e atividades. Nas mesas e durante todo o evento haverá encontros de fãs, dicas de escrita, distribuição de brindes exclusivos, conversas sobre Wattpad, representatividade, fantasia e muito mais.


A abertura do evento será às 12h30 do dia 29 de junho, seguido pelos primeiros bate-papos: Do Wattpad para as prateleiras, com a participação de Bruna Fontes, Mary C. Müller e Mel Geve e a mesa As várias vozes do Brasil, com a participação de Jarid Arraes, Roberta Spindler e Socorro Acioli acontecerão de forma simultânea nas salas A e B, respectivamente.

A literatura juvenil é hoje um dos principais centros de discussões sociais no mundo da literatura, e o fortalecimento da comunidade brasileira pode ser percebido em eventos como a FLIPOP. Na programação há mesas debatendo o papel da chamada “protagonista forte”, a necessidade de normalização de protagonistas gordos, negros e LGBT+ nas histórias, além de como tratar de temas delicados na literatura juvenil. O visitante também poderá assistir a mesas com dicas de escrita e sobre os bastidores do mercado editorial.

Eric Novello (Ninguém nasce herói), Keka Reis (O dia em que minha vida mudou), Iris Figueiredo (Céu sem estrelas) participarão de diversas mesas durante os dias de evento, além de outros nomes da literatura jovem adulta nacional, como Luiza Trigo, Socorro Acioli e Vitor Martins, e as booktubers Bruna Miranda, May Sigwalt, Melina Souza e Tatiany Leite.

Entre os convidados internacionais, a FLIPOP contará com a presença do Jeff Zentner, autor de Dias de despedida, e Morgan Rhodes, autora da série A Queda dos Reinos. Ambos publicados pela Seguinte. A programação completa pode ser vista no site flipop.com.br.



2ª FLIPOP

Quando: 29 de junho a 1º de julho

Onde: Centro de Convenções Frei Caneca - 4º andar (R. Frei Caneca, 569 - Consolação, São Paulo - SP. Referência: 850 metros da Av. Paulista, 700 metros da Estação Higienópolis-Mackenzie do metrô.) 
Site oficial: www.flipop.com.br 
Evento no Facebook: link

Ingressos: R$50 por dia ou R$100 para o festival completo. O ingresso dá direito a participar de todas as palestras, atividades e sessões de autógrafos. À venda pela Pixelticket.

Patrocínio: Papel Pólen e Centro de Convenções Frei Caneca

domingo, 3 de junho de 2018

Josh Mallerman está de volta

16:55:00

Sim, é isso mesmo que você leu no título, Josh Mallerman está de volta em toda sua glória. Autor do aclamado sucesso Caixa de pássaros, volta aos holofotes com o livro "Uma Casa no Fundo de Um Lago"

A pré-venda começa hoje e é exclusiva na Amazon.



James e Amélia têm dezessete anos. Em comum, além da idade, têm o fato de estarem um a fim do outro e de serem tomados pelo nervosismo quando James chama Amélia para sair. Mas tudo parece perfeito para um primeiro encontro: um passeio de canoa pelos lagos, levando um cooler cheio de sanduíches e cervejas.

À medida que se aprofundam na exploração, os dois chegam a um lago escondido e encontram algo impressionante debaixo d'água. Um lugar perigosamente mágico: uma casa de dois andares com tudo que tem direito — móveis, um jardim, uma piscina e uma porta da frente, que está aberta.

Enquanto, fascinados, vasculham o imóvel e tentam passar uma boa impressão para o outro, cresce o medo. Será que um local misterioso como aquele esconde alguém — ou algo — vivo? Uma coisa é certa: depois de mergulhar nos mistérios da casa no fundo do lago, a vida deles jamais voltará a ser a mesma.

Trocas Macabras e A Metade Sombria ganharão novas edições no Brasil

16:53:00
A Editora Suma anunciou que irá lançar dois livros para a coleção Biblioteca Stephen King serão Trocas Macabras e A Metade Sombria. Os dois títulos que estavam esgotados no Brasil há muitos anos agora vão voltar às livrarias em edição especial, em capa dura e com conteúdo extra.

Os títulos serão lançados a partir de 2019, sem data definida até o momento.



Em Trocas macabras, escrito originalmente em 1991, Leland Gaunt abre uma pequena loja na cidade de Castle Rock onde, em troca do seu objeto de desejo, você deve prestar um pequeno favor ao vendedor... Mas em pouco tempo fica claro que nessas trocas macabras os preços pagos são altos demais.


A metade sombria (anteriormente intitulado A metade negra) foi escrito em 1989 e conta a história do escritor Thad Beaumont, autor de uma série de sucesso assinada sob o pseudônimo de George Stark. No entanto, decidido a abandonar a série, Thad enterra seu pseudônimo, com direito a um velório e um túmulo no cemitério local. Mas quando vívidos pesadelos passam a atormentá-lo e assassinatos brutais parecem vingar a morte do fictício Stark, Thad precisa descobrir por que é tão difícil manter enterrada a parte mais sombria de si mesmo.

Clássico de H.G. Wells ganhará nova edição pela Editora Suma

16:51:00

A Máquina do Tempo de H.G. Wells, o primeiro e mais famoso livro sobre viagem no tempo, vai ganhar uma edição mega especial pela Editora Suma. Esse clássico incrível chega em junho com capa dura, ilustrações inéditas e conteúdo extra.

Ao contar a história de um cientista inglês que embarca em uma fabulosa jornada a um mundo futuro, desconhecido e cheio de mistérios, H. G. Wells inaugura um dos principais temas da ficção científica.



A bordo de sua Máquina do Tempo, o cientista que narra esta história parte do século XIX para o ano de 802701. Nesse futuro distante, ele descobre que o sofrimento da humanidade foi transformado em beleza, felicidade e paz. A Terra é habitada pelos dóceis Eloi, uma espécie que descende dos seres humanos e já formou uma antiga e enorme civilização. Mas os Eloi parecem ter medo do escuro, e têm todos os motivos para isso: em túneis subterrâneos vivem os Morlocks, seus maiores inimigos. Quando a Máquina do Tempo que levou o Viajante some, ele é obrigado a descer às profundezas para recuperá-la e voltar ao presente.

Misturando uma imaginação singular, um tema inovador e muitas reviravoltas, A Máquina do Tempo foi o primeiro romance publicado por H. G. Wells, em 1895. Chamado de gênio e considerado um pioneiro, Wells abriu caminho não só para seus livros e sua visão de mundo, mas para novas possibilidades na literatura.

Livro inédito de Philip K. Dick será lançado no Brasil pela Editora Suma

16:48:00

O livro inédito "O tempo desconjuntado", de Philip K. Dick será lançado no Brasil pela Editora Suma

Um romance impressionante de um dos maiores nomes da ficção científica. Philip K. Dick faz o leitor duvidar do real e se perguntar a todo momento até que ponto a paranoia é justificada.


“Maravilhoso, terrivelmente divertido, ainda mais se você já considerou a possibilidade do mundo ser um universo fictício construído somente para impedir que você descubra quem realmente é. Uma possibilidade bastante plausível, claro.” — Rolling Stone



Com edição especial em capa dura e projeto gráfico arrojado, uma obra inédita de Philip K. Dick chega ao Brasil, trazendo um retrato único da construção do medo, da desconfiança e da própria realidade.

Ragle Gumm tem um trabalho bastante peculiar: ele sempre acerta a resposta para um concurso diário do jornal local. E quando ele não está consultando seus gráficos e tabelas para o trabalho, ele aproveita a vida tranquila em uma pequena cidade americana em 1959. Pelo menos, é isso que ele acha. 

Mas coisas estranhas começam a acontecer. Primeiro, Ragle encontra uma lista telefônica e todos os números parecem ter sido desconectados. Depois, uma revista sobre famosos traz na capa uma mulher belíssima que ele nunca tinha visto antes, Marilyn Monroe. E para piorar, objetos do dia a dia começam a desaparecer e são substituídos por pedaços de papel com palavras escritas, como “vaso de flores” e “barraca de refrigerante”. A única alternativa que Ragle encontra para descobrir o que está acontecendo é fugir da cidade e de todos esses acontecimentos bizarros, contudo, nem a fuga nem a descoberta serão tão fáceis quanto ele imaginava.

sexta-feira, 1 de junho de 2018

A FLIPOP está chegando!

16:48:00

No próximo dia 29 de junho até 01 de julho acontece a 2ª edição da FLIPOP, o festival de literatura pop da Companhia das Letras. O evento, que ocorreu no ano passado foi só da editora Seguinte e teve  apenas dois dias, agora o evento terá três dias e nove editoras parceiras.

A FLIPOP tem como objetivo aproximar os leitores dos autores e do mercado editorial, então os bate-papos são abertos a participação e trazem diversos profissionais do livro.

Neste ano, a Companhia das Letras irá trazer os autores internacionais Morgan Rhodes (A Queda dos Reinos) e Jeff Zentner (Dias de despedida), além de vários autores nacionais como Iris Figueiredo (Céu sem estrelas), Roberta Spindler (Heróis de Novigrath), Luly Trigo (Meus quinze anos), Eric Novello (Ninguém nasce herói), Socorro Acioli (A bailarina fantasma e A cabeça do santo) e Frini Georgakopoulos (Sou fã! E agora?). Também haverá um bate-papo no domingo com editoras da Seguinte, da Globo Alt e da Plataforma 21

A programação completa você encontra no site: flipop.com.br

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Editora Suma lançará novo terror nacional

21:31:00

Em junho chega às livrarias Deuses caídos, livro de terror nacional do Gabriel Tennyson. A história é uma mistura de caixa do tesouro com caixa de pandora, e já conquistou o amor de autores como Raphael Montes, Marcos Barcelos e Marcos de Brito

Em Deuses caídos, Gabriel Tennyson nos leva em uma investigação sombria e grotesca, percorrendo os cantos escuros do Rio de Janeiro, onde as sombras têm olhos e garras, e de onde o leitor desavisado pode nunca escapar.

“Deuses caídos mistura descrições bizarras com personagens inusitados e ajuda a criar um tenebroso imaginário brasileiro. Gabriel Tennyson é uma voz nova e original no terror nacional.” — Raphael Montes


Um serial killer com poderes paranormais está assassinando evangelistas famosos — e os vídeos de cada um deles sendo torturados ganham cada vez mais público na internet. O assassino se proclama o novo messias, e os pecadores devem temer sua justiça. O que a Sociedade de São Tomé teme, no entanto, é que ele acabe com o trabalho de séculos de manter o sobrenatural bem afastado da consciência da população, embora seres mágicos povoem o submundo da cidade.

Para garantir que o assassino seja capturado e o máximo de discrição mantida, a Sociedade convoca Judas Cipriano — um padre indisciplinado, descendente de são Cipriano e herdeiro de alguns poderes celestiais. Veterano nesse tipo de caso, o padre é enviado para trabalhar como consultor da Polícia Civil e fica responsável por apresentar à jovem inspetora Júlia Abdemi o lado místico da cidade.

Para resolver o caso — e sobreviver —, os dois precisarão de toda ajuda que puderem encontrar... O que inclui se unir a uma súcubo imortal, um dragão chinês traficante de armas mágicas e um gárgula que é a síntese da sociedade carioca.

Com protagonistas cativantes, um vilão extraordinário e criaturas sobrenaturais reinventadas de maneiras sombrias, Deuses caídos une o melhor do thriller e da fantasia urbana em uma investigação vertiginosa com um final épico.

Resenha - Com Amor, Simon de Becky Albertalli

21:20:00


Livro: Com amor, Simon
Autor: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Com nova capa e novo título, a apaixonante história de Simon que conquistou milhares de leitores com uma trama que trata com naturalidade e bom humor a afirmação e os dilemas de um adolescente gay.

Agora, a adaptação do romance chega às telas de cinema com Nick Robinson, de Jurassic World, no papel de Simon, e Katherine Langford, protagonista de 13 Reasons Why. Simon Spier tem dezesseis anos e é gay, mas não conversa sobre isso com ninguém. Ele não vê problemas em sua orientação sexual, mas rejeita a ideia de ter que ficar dando explicação para as pessoas - afinal, por que só os gays têm que se apresentar ao mundo? Enquanto troca e-mails com um garoto misterioso que se identifica como Blue, Simon vai ter que enfrentar, além de suas dúvidas e inseguranças, uma chantagem inesperada.


ResenhaUm dos filmes mais esperados de 2018, Com amor, Simon é baseado no romance “Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens” de Becky Albertalli. É a história de amadurecimento e autoconhecimento de Simon Spier, de dezesseis anos. Simon tem um enorme segredo, ele é gay. Sua vida muda completamente quando seu colega Martin Addison faz faz cópias dos seus e-mails pessoais e o chantageia a convencer sua melhor amiga Abby a sair com ele. Martin “ameaça” divulgar os e-mails que Simon trocou com o misterioso Blue, o garoto por quem ele se apaixonou.

"Com amor, Simon" é um romance contemporâneo adorável, com muitos momentos divertidos. Eu adorava ler os e-mails de Simon e Blue e vê-los se tornar mais honesto sobre como se sentem um pelo outro, como eles revelaram mais e mais, mesmo sem tecnicamente saber a verdadeira identidade um do outro.

Eu adorava ler cada página uma atrás da outra, não por causa do mistério em torno Blue, embora eu estivesse ansioso para descobrir quem ele realmente era (errei no meu palpite). Mas porque não há grandes reviravoltas. Nenhum drama maior, "aventura" ou morte. É simplesmente sobre Simon crescendo, se apaixonando e se descobrindo, é sobre família e amigos, é sobre o amor. Simon não é um personagem completamente afável. Como estamos constantemente em sua cabeça, vemos os julgamentos que ele faz com as pessoas o tempo todo se preocupar em ser julgado. Mas isso é porque ele é de um caráter autêntico, lutando para dar sentido a si mesmo. Eu também adorei ver algo raro no YA: uma relação brilhante entre um adolescente e seus pais.

"Com amor, Simon" é o exemplo perfeito de como escrever diversos momentos de aprendizagem em formas divertidas, engajadas, e com um enredo sutil. Simon acha que as pessoas heterossexuais também devem sair do armário. Porque o padrão tem que ser heterossexual?

"Com amor, Simon" é um romance LGBT, muito bem trabalho e desenvolvido, com amigos incríveis, muitos momentos memoráveis, e que te fará dar muitas risadas. Amei este livro, assim como amei os personagens e a escrita de Albertalli, que é incrivelmente doce.

A premissa pode ser um pouco estranha, mas o romance se sente inegavelmente real. Para qualquer livro Jovem Adulto, Com amor, Simon é impressionante. Para uma estreia, é notável. Becky Albertalli é certamente uma autora para se acompanhar de perto.

Sobre a adaptação:

A adaptação, na minha opinião, foi pura perfeição. É a história que precisa ser contada porque todos merecem uma grande história de amor. Além de ser igualmente importante para a comunidade LGBT, se ver representado e também porque eles terão uma melhor compreensão do que um membro da família, um amigo, um colega de classe, um conhecido pode ter experimentado. Mais do que isso, é uma história sobre identidade que abraça e aceita quem você é. Os adolescentes e as crianças mais novas precisam desse filme para se sentirem representados. Espero que futuramente tenhamos histórias apresentando personagens que passam por uma experiência semelhante às que os jovens vivenciam. Eu não posso falar da experiência, mas está claro tanto no livro quanto no filme que fardo é manter uma parte tão grande de quem você é em segredo. Você se sente assustado e sozinho; incerto se você será aceito por aqueles que ama ou pelo resto do mundo. E esse é um assunto que precisa ser discutido, pois pode salvar muitas vidas.




Detalhes:

Título: Com amor, Simon
Autor (a): Becky Albertalli
Tradução: Regiane Winarski
ISBN: 978-85-510-0305-3
Tipo de Capa: Brochura
Número de Páginas: 272


Leia também nossa resenha de "Os 27 Crushes de Molly"


domingo, 25 de março de 2018

Resenha: Me Chame Pelo Seu Nome de André Aciman

17:09:00

Livro: Me Chame Pelo Seu Nome
Autor: André Aciman
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Livro que inspirou o filme dirigido por Luca Guadagnino, aclamado nos festivais de Berlim, Toronto, do Rio, no Sundance e um dos principais candidatos ao Oscar de 2018.

A casa onde Elio passa os verões é um verdadeiro paraíso na costa italiana, parada certa de amigos, vizinhos, artistas e intelectuais de todos os lugares. Filho de um importante professor universitário, o jovem está bastante acostumado à rotina de, a cada verão, hospedar por seis semanas na villa da família um novo escritor que, em troca da boa acolhida, ajuda seu pai com correspondências e papeladas. Uma cobiçada residência literária que já atraiu muitos nomes, mas nenhum deles como Oliver.

Elio imediatamente, e sem perceber, se encanta pelo americano de vinte e quatro anos, espontâneo e atraente, que aproveita a temporada para trabalhar em seu manuscrito sobre Heráclito e, sobretudo, desfrutar do verão mediterrâneo. Da antipatia impaciente que parece atravessar o convívio inicial dos dois surge uma paixão que só aumenta à medida que o instável e desconhecido terreno que os separa vai sendo vencido. Uma experiência inesquecível, que os marcará para o resto da vida.

Com rara sensibilidade, André Aciman constrói uma viva e sincera elegia à paixão, em um romance no qual se reconhecem as mais delicadas e brutais emoções da juventude. Uma narrativa magnética, inquieta e profundamente tocante.


ResenhaEste é o livro mais romântico que já li em muito tempo. É também o mais sexy. 

Estou um pouco receoso em fazer esta resenha, pois o livro é de uma beleza incomparável. Eu me encontrei ansioso para virar a página para descobrir o que acontece a seguir e ao mesmo tempo relutar em seguir em frente, porque o que estava escrito era tão intenso que eu não queria deixá-lo. Quantos livros faz você querer lê-los rápida e lentamente ao mesmo tempo?

"Você é meu regresso, Oliver. Quando estou com você e estamos bem juntos, não há nada que eu queira além disso. Você me faz gostar de quem eu sou, de quem me torno quando você está comigo. Se existe alguma verdade no mundo, ela existe quando estou com você, e se eu tiver coragem para contar minha verdade a você um dia, me lembre de acender uma vela em cada altar de Roma para dar graças."

Uma vez que se foi, uma vez que aconteceu, uma vez lida, você não pode voltar, você não pode ler de novo pela primeira vez. Está memorizado, gravado em sua pele gravado em sua mente.

Me Chame Pelo Seu Nome de André Aciman é sobre o primeiro amor e sobre as marcas deixadas por ele. 

"Eu queria ser como ele? Eu queria ser ele? Ou só queria tê-lo? Ou “ser”e “ter”são verbos imprecisos no emaranhado do desejo, em que ter o corpo do outro para tocar e ser o outro que desejamos tocar são a mesma coisa, apenas margens opostas de um rio que passa de nós a ele, volta a nós e a ele novamente, em um ciclo sem fim em que as cavidades do coração, como as armadilhas do desejo, os buracos de minhoca do tempo e as gavetas de fundo falso a que chamamos identidade compartilham uma lógica sedutora, segundo a qual a distância mais curta entre a vida real e a não vivida, entre quem nós somos e o que queremos, é uma escada em caracol projetada com a crueldade impiedosa de M. C. Escher."

Me Chame Pelo Seu Nome é narrado por Elio, um adolescente de 17 anos, filho de professores universitários. Todo verão, sua família recebe jovens acadêmicos que vêm trabalhar em suas dissertações, aproveitar o calor do Mediterrâneo e ajudar o pai de Elio com sua papelada. No ano em que Elio tem dezessete anos, Oliver é o novo hóspede, um jovem professor especializado nos pré-socráticos.

A história começa no dia da chegada de Oliver em B., mas o narrador não consegue localizar o início de tudo. "Pode ser que tenha começado logo que ele chegou […]", diz Elio. Então, uma ou duas páginas depois, ele se pergunta: "Ou talvez tenha começado na praia". Antes de percebermos, ele mudou de idéia novamente: "Mas pode ter começado bem mais tarde do acredito, sem que eu percebesse". O tempo que passou obscurece não só o começo do romance, mas a origem desse desejo peculiar, esse desejo que é, de algum modo, indizivelmente diferente, mas decididamente distinto.

"[...] tempo para pensar antes de responder. — As pessoas que leem se escondem. Escondem quem são. Pessoas que se escondem nem sempre gostam de quem são."

Transformado por um breve romance que concebe seus primeiros olhares com indiferença fingida apenas para amadurecer, transformando-os numa experiência de mudança de vida que os definirá como uma nova pessoa. É uma nova vida, uma nova era e tudo o mais é medido e lembrado como antes e depois do tempo de Elio e Oliver.

A verdadeira felicidade raramente vem sem grandes sacrifícios. Elio e Oliver sabem que, enquanto eles compartilham seu amor na riviera Italiana com a grande aposta de passar suas vidas restantes com outras pessoas, em vez de ficarem juntos. Com  Me Chame Pelo Seu Nome, André Aciman deu à humanidade um belo livro de amor verdadeiro e como ele pode durar para sempre. 

"Olha só. Vocês tinham uma bela amizade. Talvez mais do que amizade. E invejo vocês. No meu lugar, muitos pais esperariam que a coisa simplesmente sumisse, ou rezariam para que seus filhos se reerguessem logo. Mas eu não sou um desses pais. No seu lugar, se houver dor, cuide dela, e se houver uma chama, não a apague, não seja bruto com ela. Arrancamos tanto de nós mesmos para nos curarmos das coisas mais rápido do que deveríamos, que declaramos falência antes mesmo dos trinta e temos menos a oferecer a cada vez que iniciamos algo com alguém novo. A abstinência pode ser uma coisa terrível quando não nos deixa dormir à noite, e ver que as pessoas nos esqueceram antes do que gostaríamos de ser esquecidos não é uma sensação melhor. Mas não sentir nada para não sentir alguma coisa… que desperdício!"

Esta história de amor brutalmente realista é mais convincente do que algumas histórias verdadeiras da vida real que podemos ler, pois carrega o peso de algo mágico, profundo e pessoal, algo enterrado, escavado e enterrado novamente sob as camadas da narrativa requintada.

Todos nós vivemos desperdiçando horas de nossas vidas em redes sociais e seria uma pena chegar ao fim de nossas vidas sem parar por algumas horas ou dias, e dedicá-los a esta história. Pior ainda não seria aprender algo com isso e deixar de encontrar alguém disposto, pronto e feliz em nos chamar pelo seu nome. Pelo menos por um verão, se não pela vida.

"Mas lembre-se, nossos corações e nossos corpos nos são dados apenas uma vez. A maioria de nós teima em viver como se tivesse duas vidas, uma é a maquete, a outra a versão final, e todas as versões entre elas. Mas a vida é só uma, e antes que você se dê conta, seu coração se cansa e, quanto ao seu corpo chega, chega um momento em que ninguém mais olha para ele. Agora há tristeza. Não invejo sua dor. Mas invejo sua dor."

Detalhes:

Título: Me Chame Pelo Seu Nome
Autor: André Aciman 

Tradução: Alessandra Esteche
Lançamento: 05/01/2018
Páginas: 288
Formato: 14 x 21 x 1,6
ISBN: 978-85-510-0273-5
Gênero: Ficção

Novo livro de Matthew Quick será lançado pela Intrínseca

16:46:00

Consagrado com o best-seller O lado bom da vida, Matthew Quick retorna com seu novo romance Todas as coisas belas, que aborda questões sobre identidade, liberdade e os complexos dilemas que marcam a transição para a idade adulta.
Aos 18 anos, Nanette O’Hare é a típica boa garota. No fundo, porém, ela nunca se sentiu realmente parte do grupo, sufocando em um permanente desconforto com diversas atitudes das amigas e com os padrões sociais. Mas tudo muda quando, no último ano do colégio, ela ganha um livro de seu professor preferido, o clássico cult O ceifador de chicletes, e fica fascinada com a mensagem de que ela pode ser de fato quem é. Nanette se torna amiga do recluso autor e se apaixona por Alex, um jovem poeta que também é fã do livro. Encantada com esse novo mundo que se abre, ela se permite, pela primeira vez, tomar as próprias decisões. No entanto, aos poucos Nanette percebe que a liberdade pode ser um desejo arriscado e começa a se perguntar se a rebeldia não cobra um preço alto demais.

O livro será lançado no dia 15 de abril de 2018.

A Incendiária de Stephen King será lançado em abril

16:42:00

O quarto volume da Biblioteca Stephen King, intitulado A Incendiária de Stephen King já está em pré-venda na Amazon. O lançamento está previsto para o dia 17 de abril de 2018.


Uma criança com o poder mais extraordinário e incontrolável de todos os tempos. Um poder capaz de destruir o mundo.

Após anos esgotado no Brasil, A incendiária volta às livrarias como parte da Biblioteca Stephen King, coleção de clássicos do mestre do terror em edição especial, com capa dura e conteúdo extra. No livro, Andy e Vicky eram apenas universitários precisando de uma grana extra quando se voluntariaram para um experimento científico comandado por uma organização governamental clandestina conhecida como “a Oficina”. As consequências foram o surgimento de estranhos poderes psíquicos — que assumiram efeitos ainda mais perigosos quando os dois se apaixonaram e tiveram uma filha. 

Desde pequena, Charlie demonstra ter herdado um poder absoluto e incontrolável. Pirocinética, a garota é capaz de criar fogo com a mente. Agora o governo está à caça da garotinha, tentando capturá-la e utilizar seu poder como arma militar. Impotentes e cada vez mais acuados, pai e filha percorrem o país em uma fuga desesperada, e percebem que o poder de Charlie pode ser sua única chance de escapar.

FOLLOW @ INSTAGRAM

Sobre Nós

PaperTowns

Criado em Março de 2013, o The Paper Towns surgiu como um simples blog voltado para o mundo da literatura. A proposta do The Paper Towns é, sem dúvida, criar entretenimento literário diversificado e diferenciado para seus leitores. Temos como objetivo, informar, dar opiniões, resenhar, tudo relacionado com o mundo literário.




Facebook

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *