terça-feira, 4 de março de 2014

Resenha: Ciranda da Solidão

Livro: Ciranda da Solidão
Autor: Mário César
Editora: Balão Editorial
Compre: Balão Editorial
Sinopse: Uma história bem contada tem que ter uma trama envolvente e personagens complexos envolvidos em relações humanas verossímeis que permitem ao leitor se identificar com o que acontece e projetar suas próprias emoções na narrativa. Posto isso, Mário César, em Ciranda da Solidão, conta cinco soberbas histórias sobre pessoas lidando com dramas reais como ciúmes, nostalgia, a descoberta da sexualidade na adolescência, encontros e desencontros amorosos, entre outras coisas. Todos temas caros a qualquer pessoa. Mas o grande charme dessas HQs é que são protagonizadas por homossexuais, e cada uma mostra um aspecto do universo LGBT, como um adolescente descobrindo-se atraído por um colega, um idoso se lembrando de seu amor, um casal de lésbicas com complicações no relacionamento, temas que ao mesmo tempo são específicos e universais, pois os roteiros nos fazem mergulhar em emoções com as quais todo mundo se identifica. Mário César faz tudo isso em uma arte elegante e direta, que favorece a fluidez da história. Não à toa que o livro conseguiu apoio dos leitores e foi bancado por meio da plataforma Catarse, de financiamento coletivo do tipo crowdfunding.



Resenha: Ciranda da Solidão é uma coletânea de cinco HQs sobre relacionamentos, “dramas reais, nostalgia, a descoberta da sexualidade na adolescência, encontros e desencontros amorosos, entre outras coisas”.

Apesar de se tratar de um tema que não é bem aceito por alguns (algo ridículo, dado o século em que nos encontramos) e dignamente respeitados por outros, Ciranda da Solidão nos ensina que o amor não define sexualidade, que ele foi feito para todos e todos têm o direito de amar, independente se você é homem ou mulher ou homossexual.

Em O Clube das Pessoas Normais, Mário conta a história de um adolescente lidando com as mudanças, a nostalgia e a descoberta. Já em Ciranda da Solidão, Mário mostra através da narrativa sem palavras os encontros e desencontros que se dão nos relacionamentos. Em A Primeira Vista o autor conta um pouco sobre sua história de amor. Na quarta história, Esperando a Cera Secar, temos um drama emocionante, onde mostra o quanto a pessoa que está ao seu lado pode ser cruel, que nenhum relacionamento é perfeito. A última história e sem duvida a mais linda e emocionante. A Escrita no Muro, conta a história de um homossexual que sofre do mal de Alzheimer e tem de lidar com o problema de se esquecer de sua linda história de amor. Não existe melhor história para se encerar Ciranda da Solidão do que A Escrita no Muro


Ciranda da Solidão é uma história bem escrita e desenvolvida, com uma trama envolvente e gostosa de se ler. Largue todo o seu preconceito e aventure-se nesta linda história escrita por Mário César.

Apesar de ainda vivermos em um mundo cheio de preconceitos, temos que nos abrir para um mundo cheio de novas escolhas, novas oportunidades, novas atitudes. Devemos respeitar a todos, independente de suas escolhas ou opções. Temos que evitar todo e qualquer tipo de preconceito, pois histórias como Ciranda da Solidão ou Azul é a Cor Mais Quente, merecem o seu reconhecimento e respeito.

É muito bom ver editoras como a Balão Editorial a Galera Record e a Martins Fontes, publicando livros e HQs que abordam o homossexualismo. Isso mostra que são editoras de qualidade e de inclusão.

Detalhes:
ISBN: 978-85-63223-20-3
Cor: 2
Idioma: Português
Tipo de Capa: Brochura
Número de Páginas: 96
Diego J. S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

PaperTowns

Criado em Março de 2013, o The Paper Towns surgiu como um simples blog voltado para o mundo da literatura. A proposta do The Paper Towns é, sem dúvida, criar entretenimento literário diversificado e diferenciado para seus leitores. Temos como objetivo, informar, dar opiniões, resenhar, tudo relacionado com o mundo literário.




Facebook

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *