sábado, 1 de outubro de 2016

Conheça "O Homem que Caiu na Terra"


Poesia e beleza de outro mundo.

O HOMEM QUE CAIU NA TERRA tornou-se um verdadeiro clássico da literatura e uma das mais refinadas, sutis e delicadas ficções científicas já escritas. Publicado originalmente em 1963, ganhou reconhecimento em todo o planeta com a adaptação para o cinema dirigida por Nicolas Roeg em 1976. O filme também marcou a estreia de David Bowie no cinema encarnando o protagonista alienígena - para quem o papel parecia ter sido especialmente pensado (o que não foi o caso): um ser andrógino, impúbere, alto para os padrões terráqueos, delicado, magro, polido e que tenta se adaptar à vida terrestre para sobreviver entre os humanos.


Thomas Jerome Newton veio de Anthea para a Terra em uma missão desesperada para salvar os poucos habitantes que ficaram em seu longínquo e desconhecido planeta. Para isso, precisa construir aqui uma nave que possa trazer os 300 de sua espécie que ainda vivem em um planeta onde a água acabou e os recursos são cada vez mais escassos.

Com conhecimento e inteligência muito superior aos humanos, Newton logo se torna um bem sucedido empresário do ramo de patentes tecnológicas e também descobre a solidão, o desespero e o álcool - criando uma delicada parábola sobre as mudanças que estavam ocorrendo entre os anos 1950, com o início da Guerra Fria.





Escrito com vigor e com uma prosa carregada de tensão poética, Walter Tevis produziu uma das ficções científicas mais realistas sobre um alienígena que vai absorvendo o dia a dia, o jeito e os vícios humanos aos poucos. Realista o suficiente para se tornar uma metáfora daquilo que todos nós carregamos: uma indescritível angústia e solidão existencial.


A trajetória fugaz de Newton em uma Terra que já começava a acelerar seus passos rumo à degradação acaba por dizer algo urgente sobre a nossa vida e o propósito dela aqui, muito mais do que fazer refletir sobre a longínqua Anthea.



Bowie eternizou o personagem com seu estranho olhar, sotaque e cabelos laranjas incandescentes e deu vida a uma constelação de possibilidades para nós, simples terráqueos. Ziggy, Major Tom, Alladin Sane, Halloween Jack são poeira desse extraterrestre que transformou a cena musical, o cinema e a cultura pop.

A DarkSide® vai resgatar as origens do mestre camaleão e sua incursão no mundo da sétima arte. Livros que marcaram gerações e também transformaram a cabeça de Bowie e o levaram a sonhar muito além do céu e da terra. Ele se tornou uma estrela real e se juntou às constelações para continuar a nos guiar por lugares e mundos que ainda não exploramos. A nossa viagem só está começando. Obrigado, Major Tom. Obrigado Mr. Tevis.





Walter Tevis (1928–1984) nasceu em São Francisco, Califórnia. Foi professor de literatura na Universidade de Ohio e autor de romances e contos traduzidos em pelo menos 18 idiomas. Três dos seis romances que escreveu foram adaptados para o cinema: The Hustler (1959), The Color of Money (1984) e O Homem que Caiu na Terra (1963). Este, dirigido por Nicolas Roeg em 1976, marca a estreia de David Bowie como ator. O filme logo se tornou um clássico e influenciou a cultura pop como poucas outras obras de ficção científica. Saiba mais em waltertevis.com.



Ficha Técnica

Título: O Homem que Caiu na Terra
Autor: Walter Tevis
Tradutora: Taissa Reis
Editora: DarkSide®
Edição: 1a
Idioma: Português
Especificações: 224 páginas (estimadas)
Dimensões: 14 x 21 cm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

PaperTowns

Criado em Março de 2013, o The Paper Towns surgiu como um simples blog voltado para o mundo da literatura. A proposta do The Paper Towns é, sem dúvida, criar entretenimento literário diversificado e diferenciado para seus leitores. Temos como objetivo, informar, dar opiniões, resenhar, tudo relacionado com o mundo literário.




Facebook

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *