segunda-feira, 1 de maio de 2017

Resenha: Quem Era Ela de JP Delaney



Livro: Quem Era Ela
Autor: JP Delaney
Editora: Intrínseca
Compre: Amazon
Sinopse: Tudo que é seu hoje, um dia já foi dela. Ela era como você. E, ao tentar fugir, você fará as mesmas escolhas e seguirá pelo mesmo caminho.

É preciso responder a uma série de perguntas, passar por um criterioso processo de seleção e se comprometer a seguir inúmeras regras para morar no nº 1 da Folgate Street, uma casa linda e minimalista, obra-prima da arquitetura em Londres. Mas há um preço a se pagar para viver no lugar perfeito. Mesmo em condições tão peculiares, a casa atrai inúmeros interessados, entre eles Jane, uma mulher que, depois de uma terrível perda, busca um ponto de recomeço.

Jane é incapaz de resistir aos encantos da casa, mas pouco depois de se mudar descobre a morte trágica da inquilina anterior. Há muitos segredos por trás daquelas paredes claras e imaculadas. Com tantas regras a cumprir, tantos fatos estranhos acontecendo ao seu redor e uma sensação constante de estar sendo observada, o que parecia um ambiente tranquilo na verdade se mostra ameaçador.

Enquanto tenta descobrir quem era aquela mulher que habitou o mesmo espaço que o seu, Jane vê sua vida se entrelaçar à da outra garota e sente que precisa se apressar para descobrir a verdade ou corre o risco de ter o mesmo destino. Com um suspense de tirar o fôlego e um clima de tensão do início ao fim, JP Delaney constrói um thriller brilhante repleto de reviravoltas até a última página. Uma história de duplicidade, morte e mentiras.


ResenhaTenho um verdadeiro fascínio por thrillers psicológicos como "Garota Exemplar", "A Garota no Trem" e "A Viúva", então ler esta história foi um prazer absoluto. Do início ao fim, essa história foi envolvente, acelerada e uma história que me deixou absolutamente envolvido, porque viaja entre o passado e presente dos pontos de vista de Emma: uma mulher que morreu em Folgate Street; e Jane: uma mulher determinada a ter certeza de que ela não sofre o mesmo destino que Emma, ​​então ela precisa saber o que aconteceu. 

Emma era uma mulher muito problemática com problemas de auto-estima; desesperada o suficiente para mentir para salvar sua pele em situações que ela sentia que era necessário. De certa forma, eu sentia pena dela, e então em outras vezes, eu podia entender por que aqueles que ela pedia ajuda não estavam dispostos a ajudá-la. Quanto a Jane, ela é o oposto total de Emma. Ela é forte, corajosa e eu gostei de como ela estava determinada a descobrir o que aconteceu com Emma. Não só estava se protegendo de futuras mágoas, mas acreditava que Emma merecia justiça e precisava saber se o novo homem em sua vida representava um perigo para ela, o que era compreensível, já que ele era um mistério.

Eu realmente gostei de Jane e os personagens secundários certamente fez esta história interessante. O policial que tentou ajudar Emma fez o seu melhor sob as circunstâncias que ele teve que trabalhar, mas não teve isso fácil após a sua morte. Edward Monkford já sofreu bastante em sua vida, mas por algum motivo, parece ter um tipo problema quando se trata de mulheres e fará qualquer coisa para estar com Jane, mesmo que isso signifique usar as mesmas palavras que ele usou em Emma para seduzi-lá.

No entanto, o personagem secundário que mais gostei foi o terapeuta de Emma. Ela me fascinou com seus contos de Emma e seus avisos para Jane. Será que Jane leva a sério, ou ela já estava presa a Edward? Será que Jane chegaria à conclusão certa sobre quem feriu Emma antes que fosse tarde demais para se salvar? Depois, havia os personagens que eu não podia lidar, como as pessoas que fizeram com que Emma tivesse medo de sua própria sombra. Mesmo que Emma causasse muitos problemas para si mesma, era difícil não sentir pena dela.

Delaney magistralmente justapõe o ambiente estéril e organizado de Folgate Street com o caos desarrumado e incontrolável que é a natureza humana. O elenco de personagens é fascinante, cada um com segredos que enterraram profundamente. A desconfiança se intensifica ao longo de toda a narrativa constantemente em movimento, de múltiplas camadas, até seu final chocante e totalmente satisfatório.

"Quem Era Ela" oferece suspense psicológico superior - perfeitamente estimulante e habilmente trabalhado. Todos deveriam ler este livro.

Detalhes:

Título: Quem Era Ela
Autor (a): JP Delaney
Tradução: 
Regiane Winarski
ISBN: 
978-85-510-0070-0
Tipo de Capa: Brochura
Número de Páginas: 336

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

PaperTowns

Criado em Março de 2013, o The Paper Towns surgiu como um simples blog voltado para o mundo da literatura. A proposta do The Paper Towns é, sem dúvida, criar entretenimento literário diversificado e diferenciado para seus leitores. Temos como objetivo, informar, dar opiniões, resenhar, tudo relacionado com o mundo literário.




Facebook

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *